Governança Corporativa: o que é e quais os benefícios?

governança corporativa

Governança corporativa é o sistema de regras, práticas e processos pelos quais uma empresa é dirigida e controlada. A governança corporativa envolve essencialmente o equilíbrio dos interesses das várias partes interessadas de uma empresa, como acionistas, executivos da alta administração, clientes, fornecedores, financiadores, o governo e a comunidade.

Uma vez que a governança corporativa também fornece a estrutura para atingir os objetivos de uma empresa, ela abrange praticamente todas as esferas da gestão, desde planos de ação e controles internos até medição de desempenho e divulgação corporativa.

Embora a governança corporativa esteja frequentemente associada a grandes empresas de capital aberto, pequenas e médias empresas também estão interessadas neste assunto. 

Neste artigo, veremos como definir governança corporativa, o que é boa governança corporativa, exemplos e como aplicá-la dentro de uma empresa. Vamos lá?

 

O que é governança corporativa?

 

Acima de tudo, governança corporativa refere-se à forma como é feita a administração de uma empresa. Ou seja, é a técnica pela qual as empresas são dirigidas e administradas. Significa conduzir o negócio de acordo com os desejos das partes interessadas. É tudo uma questão de equilibrar objetivos individuais e sociais, bem como, objetivos econômicos.

Ao mesmo tempo, também podemos entender a governança corporativa como a interação entre vários participantes (acionistas, conselho de administração e administração da empresa) na formação do desempenho da corporação e na forma como ela está se encaminhando. O relacionamento entre os proprietários e os gerentes em uma organização deve ser saudável e não deve haver conflito entre os dois. Portanto, essas dimensões da governança corporativa não podem cair na negligência.

Governança corporativa nada mais é que determinar formas de tomar decisões estratégicas eficazes. Ela confere autoridade final e responsabilidade total ao Conselho de Administração. Na economia atual orientada para o mercado, surge a necessidade de governança corporativa.

Além disso, a eficiência e a globalização são fatores importantes que exigem governança corporativa. Por isso, se torna essencial para desenvolver valor agregado aos stakeholders.

A Governança Corporativa garante transparência para que haja um desenvolvimento econômico forte e equilibrado. Isso também assegura que os interesses de todos os acionistas (acionistas majoritários e minoritários) sejam resguardados. 

A governança corporativa tem um escopo amplo. Inclui aspectos sociais, institucionais e incentiva um ambiente confiável, moral e ético dentro das empresas.

 

governança corporativa

 

Por que a governança corporativa é importante?

 

Governança corporativa é, acima da tudo, sinônimo de mitigação de riscos. Ela responsabiliza as empresas e as torna mais transparentes para os investidores. Ou seja, melhora o acesso ao capital e protege as partes interessadas.

 

  • A governança corporativa garante que os direitos e responsabilidades de cada entidade sejam devidamente distribuídos, evitando qualquer forma de discriminação;
  • Fornece uma estrutura específica para delinear e atingir os objetivos da empresa;
  • Dita o comportamento corporativo, limitando a quantidade de controle e poder que cada entidade possui;
  • Estabelece as regras para as atividades de tomada de decisão relacionadas aos assuntos corporativos;
  • Monitora as ações da corporação, bem como de seus stakeholders.

 

Por outro lado, a falta de uma governança corporativa adequada pode levar a conflitos de interesse entre os membros que podem causar danos duradouros, como imagem ruim da empresa e perda de lucros.

A boa governança corporativa protege a integridade e a imagem pública de uma empresa; portanto, estes podem ser questionados se há falta de transparência exigida por entidades externas e internas. 

Com uma governança deficiente, as partes interessadas minoritárias muitas vezes, são discriminadas, visto que as partes interessadas majoritárias e os executivos dão prioridade aos seus próprios interesses, ou podem ser tomadas decisões míopes por motivos semelhantes. Isso pode minar a confiança do público e levar a resultados desastrosos.

 

governança corporativa

 

Estrutura de governança corporativa

 

Uma estrutura de governança corporativa é composta de fatores internos e externos que impactam os interesses de um negócio. A estrutura geralmente é criada por um conselho de administração e inclui desde planos de ação até gerenciamento de conflitos.

Claro, a estrutura irá variar de empresa para empresa, mas de modo geral, ela conterá os seguintes elementos:

 

  • Acionistas tratados com justiça e igualdade;
  • Informações pertinentes comunicadas a todas as partes interessadas em todos os momentos;
  • As políticas transparentes;
  • Um código de conduta definido para todos os membros do conselho;
  • O conselho de administração deve garantir justiça, diversidade e responsabilidade dentro da empresa;
  • A existência controles para minimizar conflitos de interesse, assim, quaisquer conflitos que surjam são resolvidos de forma imparcial.

Quais são os princípios da boa governança corporativa?

 

Antes de tudo, precisamos falar que o objetivo de uma empresa é criar valor. Para isso, sobretudo, a governança corporativa é baseada em quatro princípios fundamentais. A transparência, equidade, prestação de contas (accountability) e responsabilidade corporativa.

 

Transparência

 

Um princípio de boa governança corporativa? Que os stakeholders e acionistas sejam informados sobre as atividades da empresa, os planos futuros e os riscos envolvidos nas estratégias de negócios.

Transparência significa abertura, uma vez que uma empresa fornece de boa vontade essas informações de forma clara para essas partes. As divulgações de desempenho financeiro são um exemplo. 

Ou seja, essas divulgações devem ser oportunas e precisas quando se trata de comunicar aos investidores; as funções, responsabilidades e potenciais conflitos de interesse do conselho e da administração também devem ser tornados visíveis. Dessa forma, essa transparência dá às partes interessadas a confiança na honestidade e na responsabilidade das pessoas que dirigem a organização.

 

transparência na governança corporativa

 

Equidade

 

Em suma, equidade está relacionada ao tratamento justo e uniforme de todos os parceiros e demais partes interessadas (stakeholders), considerando seus direitos, deveres, necessidades, expectativas e interesses. É natural que ao pensar nesse princípio de governança corporativa, os outros princípios venham à mente porque, é claro, eles são inseparáveis.

Entretanto, este tratamento igualitário e justo das partes interessadas deve ser estendido a todos os grupos: colaboradores, clientes, fornecedores, investidores, entre outros. Afinal, de acordo com o código de conduta do IBGC (Instituto Brasileiro de Governança Corporativa), políticas discriminatórias são totalmente inaceitáveis.

 

Prestação de contas (Accountability)

 

Também conhecido pelo termo em inglês accountability, a prestação de contas anda de mãos dadas com o princípio da transparência. Um agente de boa governança é responsável por seu desempenho de forma clara, concisa e compreensível.  Ou seja, ele aceita as consequências de suas ações, sejam elas positivas ou negativas. Portanto, é uma tarefa que demonstra o compromisso e a responsabilidade da empresa com as boas práticas de gestão.

 

Accountability

 

Responsabilidade Corporativa

 

O último princípio desta lista parece, sobretudo, óbvio. Inegavelmente, cuidar da saúde econômica das organizações, valorizar o desenvolvimento profissional e mental dos colaboradores da empresa e buscar minimizar os impactos negativos faz parte do princípio da responsabilidade corporativa. Por isso, o agente de governança deve estar atento, em seu plano de negócios, aos aspectos financeiros, intelectuais, sociais e ambientais, entre outros. Todavia, essa atenção é dada a curto, médio e longo prazo.

 

Quais são os principais benefícios da governança corporativa?

 

A boa governança corporativa cria uma infraestrutura estável que permite que decisões de negócios melhores, mais éticas e equilibradas sejam tomadas e que as empresas estabeleçam suas próprias regras básicas, se necessário. 

Desde que a estrutura de governança seja bem definida e devidamente aplicada, ela deve funcionar para o benefício de todos, garantindo que as melhores práticas sejam seguidas em todos os setores. Vejamos abaixo alguns dos principais benefícios de uma boa governança corporativa:

 

  • A boa governança corporativa garante o sucesso corporativo e o crescimento econômico;
  • Uma forte governança corporativa mantém a confiança dos investidores e, como resultado, a empresa pode levantar capital com eficiência e eficácia;
  • Reduz o custo de capital;
  • Há um impacto positivo no preço das ações;
  • Fornece incentivo adequado aos proprietários, bem como aos gerentes, para atingir os objetivos que são do interesse dos acionistas e da organização;
  • A boa governança corporativa também minimiza desperdícios, corrupção, riscos e má gestão;
  • Ajuda na formação e desenvolvimento da marca;
  • Garante a administração da empresa de maneira que atenda aos melhores interesses de todos.

 

responsabilidade social

 

Exemplos de boa e má governança corporativa

 

Talvez a melhor maneira de enfatizar por que a boa governança corporativa é tão importante é falar sobre dois exemplos de governança bem feita e governança mal feita. Assim como os casos da PepsiCo e a Volkswagen abaixo.

 

PepsiCo

 

Os populares fabricantes de bebidas sempre foram reverenciados por sua governança corporativa e é uma área em que constantemente se concentra e se atualiza. Todos os anos, a PepsiCo elabora uma declaração que descreve suas práticas de governança, composição do conselho, estratégias de longo prazo. Sendo assim, essa transparência fez da PepsiCo uma força a ser reconhecida no mundo dos negócios.

 

Volkswagen 

 

O escândalo que foi apelidado de “Dieselgate” chocou a indústria automotiva em 2015, quando foi revelado que a VW vinha manipulando seu equipamento de emissão de poluentes no carro por anos para falsificar os resultados dos testes. A divulgação fez com que os preços das ações despencassem e a fé na marca VW fosse quase irreversivelmente maculada. É discutível que o escândalo foi permitido em primeiro lugar por causa do sistema falho de conselho de duas camadas da empresa.

 

Como implementar a governança corporativa?

 

A implementação da governança corporativa em uma empresa começa com o estabelecimento de objetivos como:

 

  1. Estabelecer uma estrutura organizacional ;
  2. Definir uma estratégia de governança de acordo com as missões, valores e visão da empresa;
  3. Identificar oportunidades e riscos;
  4. Usar recursos de forma sustentável ;
  5. Respeitar os interesses das partes interessadas e levar em consideração seus pontos de vista no processo de tomada de decisão;
  6. Avaliar o grau de cumprimento dos objetivos e fazer os ajustes necessários;

 

Os benefícios da governança corporativa são, portanto, evidentes: uma visão de objetivos de longo prazo, uma gestão de riscos eficaz, uma gestão responsável da empresa e uma sinergia entre os diferentes stakeholders que criam valor.

 

Os 10 passos para uma boa governança corporativa 

 

A implementação da governança corporativa eficaz pode ser desafiadora em sua totalidade, mas existem dez aspectos específicos que você pode consultar para obter orientação ao implementar a governança corporativa em sua organização: 

 

1. Garanta um Conselho diversificado

 

O equilíbrio é o alicerce do Conselho, que deve ser competente e diversificado se você deseja alcançar o sucesso por meio da governança corporativa. Procure ter diretores qualificados e que entendam o negócio completamente, mas que também possam oferecer uma nova perspectiva.  

 

2. Revise o Conselho regularmente

 

A composição do Conselho de Administração é crítica e pode fazer ou destruir o sucesso da governança corporativa da sua organização. A revisão regular do seu Conselho pode ajudar a identificar rapidamente quaisquer possíveis deficiências, o que permite que você faça melhorias oportunas e mantenha as coisas no caminho certo. 

 

3. Construa bases sólidas para supervisão

 

Supervisionar o trabalho do Conselho e da administração é fundamental. Desenvolva uma base sistemática que você possa usar para estabelecer, monitorar e avaliar regularmente suas funções e responsabilidades. O Conselho precisa ter visibilidade das ações de gestão e estar disponível durante todas as principais tomadas de decisão. 

 

4. Objetivo de criação de valor de longo prazo

 

Alinhar os principais indicadores de desempenho para a produção de valor de longo prazo, ao invés de curto prazo, irá garantir o sucesso sustentável para sua empresa. 

 

5. Priorize o gerenciamento de riscos

 

Estabeleça um processo de gerenciamento de riscos e uma estrutura de controle interno que seja eficaz e condizente com as necessidades do seu negócio e tenha como objetivo revisar sua eficácia periodicamente. Os planos de recuperação de desastres são essenciais para qualquer empreendimento comercial, portanto, manter o seu regularmente atualizado  nunca é uma má ideia.  

 

6. Garanta a integridade dos relatórios

 

Os relatórios corporativos são essenciais, mas também é a garantia de sua integridade geral. Procure estabelecer resguardadas em todos os processos de relato, como a realização de auditorias externas da empresa. 

 

7. Forneça informações equilibradas

 

A transparência com as principais partes interessadas é essencial, e isso só pode ser alcançado quando você visa fornecer informações regularmente, tanto nos momentos bons quanto nos ruins. Isso promove a confiança dos stakeholders no negócio e elimina o risco de eles desconfiarem de seus procedimentos e se retirarem. 

 

8. Enfatize a integridade como um todo

 

As práticas de integridade não param no relatório. Seja consistente em sua promoção de  comportamentos éticos e consulte os acionistas sobre seus interesses e preocupações no que diz respeito à integridade de sua empresa. 

 

 9. Trate as partes interessadas com equidade

 

Respeite os direitos de seus acionistas e esteja aberto para alterar seus planos para adequá-los, se necessário e apropriado.  

 

10. Garanta divulgações adequadas

 

Refere-se à divulgação de todas as transações com partes relacionadas e aos demais interesses de todos os conselheiros envolvidos. Se um diretor tiver interesses financeiros externos fora da empresa, isso pode influenciar sua tomada de decisão. 

 

Nós podemos ajudar

 

Cada empresa requer governança e em nenhum lugar isso é mais verdadeiro do que nos negócios. Porque, sem um sistema de regras e práticas em vigor, não há como administrar uma empresa de maneira adequada. A governança corporativa existe para garantir que um negócio possa funcionar sem problemas e que todos saibam onde está seu lugar. Também é algo que mesmo muitos líderes empresariais simplesmente não entendem.

A boa governança corporativa leva a práticas comerciais éticas e isso não apenas torna uma empresa mais viável financeiramente, mas a torna mais favorável aos olhos do público em geral e de seus stakeholders.

Se você estiver interessado em aprender mais sobre governança corporativa e implementar um sistema que seja transparente, justo, responsável e capaz de responsabilizar todas as partes, entre em contato com nossos especialistas hoje mesmo. Descubra como a wehandle pode ajudá-lo nesse processo para manter uma boa governança corporativa na sua empresa.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Materiais Gratuítos

Confira nossos materiais gratuitos disponíveis para te ajudar na gestão de terceiros.

Newsletter

Assine a nossa newsletter e receba nossos conteúdos exclusivos em seu e-mail

Quer se tornar um especialista.

Cadastre-se e receba todos os nossos conteúdos por e-mail